Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade II Seminário Interno do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade: Colocaremos nossa energia em quê? | Fórum Sobre Medicalização da Educação e da Sociedade

II Seminário Interno do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade: Colocaremos nossa energia em quê?

seminario interno_V2


O Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade é um movimento social que articula entidades, grupos, representantes de movimentos sociais e pessoas físicas para enfrentar conjuntamente os processos de medicalização da vida e da política, mobilizando a sociedade e construindo propostas de atuação que acolham, atendam e protejam aqueles que sofrem esses processos.

Medicalização diz respeito ao processo artificial por meio do qual se ocultam questões históricas, políticas, culturais, econômicas, sociais e afetivas do fenômeno, reduzindo sua complexidade a supostas doenças, transtornos ou distúrbios individuais. Essa visão reducionista invariavelmente resulta na responsabilização do indivíduo e seu grupo familiar pelos supostos problemas que apresentam, produzindo sofrimento. Nesse processo, perdem-se de vista os interesses políticos e econômicos em questão. Em outras palavras, ao transformar questões complexas em doenças individuais, a medicalização deixa de cuidar com atenção de nossas feridas históricas. (Carta de São Paulo do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade, 2013).

Desde a sua formação, o Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade propõe práticas para o enfrentamento da medicalização, ocupando espaços científicos, de formação, na interação com a sociedade e nas políticas públicas.

Um desses espaços surgiu em 2012 com a realização do I Seminário Interno. Esse evento foi realizado no Conselho Regional de Psicologia de São Paulo em resposta à necessidade de trocar experiências, coletivizar lutas, enfrentamentos e estratégias configuradas ao longo dos dois anos desde a criação do Fórum. Naquele momento, Adriana Marcondes, da Universidade de São Paulo, como debatedora convidada fez a provocação que norteou as discussões do Fórum.

“O Fórum-Grupo, com encontros em São Paulo, tornou-se Fórum-Núcleos, com encontros em várias regiões e, agora, talvez esteja se constituindo em Fórum-Movimento.”

Afinal, o que pode significa ser um Fórum-Movimento? Para discutirmos essa questão em sua interface com o enfrentamento da medicalização o nosso II Seminário Interno ocorrerá no dia 18 de Outubro em Belo Horizonte, no Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais (confira a localização aqui).

Na parte da manhã, o evento será aberto ao público externo e contará com a presença de um debater convidado, o sociólogo Rudá Ricci, que fará uma fala inicial como provocador da discussão e que vem desenvolvendo reflexões sobre novas arenas de organização e participação popular. Com ele, pretendemos pensar como podem se organizar os coletivos que compartilham alguns objetivos e princípios a partir das transformações desenroladas no cenário pós-Junho de 2013. Como manter a luta sem perder a lógica anti-institucionalizante e a cooptação pelo poder centralizador ou sua estatização? Quais ações temos silenciado nessa construção de luta.? Como pensar em formas de potencializar nossas ações que ocorrem em diversas instâncias? Com quais ferramentas, pautas e dispositivos? Em quais territórios? O que significa ser um movimento social hoje?

No período da tarde os signatários irão se reunir e, embebidos do clima de discussão da parte da manhã, iremos criar um espaço para trocar experiências, coletivizar lutas, enfrentamentos e estratégias.

O evento, além de gratuito, será transmitido pelo canal do Youtube do Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade, potencializando a web como espaço de troca e construção. Para quem irá acompanhar no local, a inscrição é obrigatória!

cronogramapng